A diferença entre o CPS (Cyber Physical System) e o IIOT (Industrial Internet Of Things)

O CPS representa um ativo produtivo utilizado no fluxo de produção. Como exemplo temos a figura acima, de uma máquina injetora de peças termoplásticas com um controle digital de operação sendo feito através de um CLP (Controlador Lógico Programável), que processa um algoritmo de controle de malha fechada (ex: Proporcional, Integral e Derivativo- PID) para realizar a operação de fabricação de peças plásticas.

O CLP possui interfaces com sensores de medição dos parâmetros operacionais da máquina, para a leitura dos mesmos, e que serão utilizados pelo algoritmo de controle para a definição dos acionamentos dos atuadores conectados ao CLP, que realizam as operações físicas de transformação produtiva conforme o planejado. Os dados de leitura dos sensores e dos atuadores, bem como os dados de produção são enviados para os sistemas de informação integrados corporativos, da organização de manufatura. Ou seja: O sistema de Automação, o Sistema MES e o Sistema ERP.

A definição de IIOT em muito se assemelha ao de CPS, porém com um enfoque de usabilidade diferente, haja visto que o conceito de IIOT não se insere nas minúcias das variáveis relativas aos parâmetros de processos, que são utilizados pelo algoritmo de controle da máquina. O foco do IIOT é a de disponibilidade dos dados de processo e produção demandados pelos sistemas de informação integrados corporativos.

Em resumo, o conceito de CPS permite um nível de detalhamento sobre a digitalização da operação produtiva, maior do que o proposto com o conceito original de IIOT, que se refere basicamente a conectividade do referido recurso produtivo. Para se obter um gêmeo digital da organização produtiva que seja o mais verossímil da sua realidade física, se exige uma abordagem como a do CPS, com a possibilidade de realização de ajustes dos parâmetros de processos do controle digital da máquina, em tempo real. Tais ajustes podem ser realizados de forma autônoma por um assistente virtual do processo produtivo, como o nosso assistente virtual WM, que utiliza recursos de inteligência artificial para realizar o ajuste fino dos parâmetros da ficha técnica operacional da máquina, ao longo da produção e seus resultados. Lembrar que mesmo que a ficha técnica de processo tenha sido gerada por um sistema de CAE (Computer Aided Engineering), o resultado, em geral, de otimização é de aproximadamente 80% de precisão. Pois o simulador desse tipo de CAE utiliza dados referentes a uma máquina hipotética, que normalmente se difere consideravelmente em relação a máquina física a ser utilizada. Observar que há uma diferença entre o algoritmo de controle digital adaptativo que pode estar sendo utilizado pelo CLP da máquina, em relação aos ajustes realizados pelo assistente virtual inteligente. Principalmente no que se refere a autonomia de tomada de decisão de adaptação aos eventos inesperados do processo produtivo, que estão além da operação da máquina.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários